terça-feira, 5 de junho de 2018

CONVOCAÇÃO - Exame da Ordem Presbiteral 2018

EDITAL DE CONVOCAÇÃO
Exame para ingresso na Ordem Presbiteral 
2018

O Colégio Episcopal convoca os/as candidatos/as à Ordem Presbiteral para realização de Exame para Ingresso na Ordem Presbiteral, para o dia 23 de outubro de 2018 – terça-feira, das 13h às 17h, horário de Brasilia, no local estabelecido pela Comissão Ministerial Regional. Esta exigência contempla os artigos canônicos 27, item V, 119, item XIII e 92 § 3º, o Regulamento da Ordem Presbiteral e o regulado pelas Normas do Exame da Ordem Presbiteral.

Em breve será divulgado o local da Prova.

Você pode acessar informações sobre o Edital e os conteúdos em http://www.metodista.org.br/ordem-presbiteral

e https://drive.google.com/file/d/1yL8uTQuFuHLii4KYlMl_9xQ5u-n8Kvl1/view

veja a Bibliografia em: 
https://drive.google.com/file/d/1IeyUTk9yfPnZgX_jLK28LWGVMCT_rvo1/view

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018


TRABALHOS 2018

COMISSÃO MINISTERIAL REGIONAL

Trabalhos a serem apresentados por: 
  • Aspirantes ao Presbiterado
  • Aspirantes ao Pastorado
  • Missionários/as Designados/as
Data Limite: 10/08/2018


Curitiba, 22 de Fevereiro de 2018.
“Discípulos e discípulas nos caminhos da missão
servem com integridade.”


Amados/as Irmãos/ãs, Graça e Paz!


A Comissão Ministerial Regional (CMR), eleita no 34º Concílio Regional, em reunião no dia 2 de Fevereiro de 2018, nas dependências da Igreja Metodista Central de Curitiba, encaminha as seguintes orientações para os Aspirantes ao Presbiterado e Aspirantes ao Pastorado e para os Missionários Designados no corrente ano de 2018, com vistas ao acompanhamento e relatório de recomendações ao Concílio Regional.
            
  Ressaltamos que TODOS/AS os/as candidatos/as que estão sob acompanhamento desta Comissão, DEVEM ELABORAR E ENVIAR OS TRABALHOS PARA AVALIAÇÃO, estritamente no prazo indicado. NÃO HÁ DISPENSA.

            O resultado da avaliação é parte das considerações para elaboração de Relatório da CMR ao Concílio Regional, Bispo Presidente e demais órgãos onde são necessários os pareceres da Comissão.

Solicitamos encaminhamento a esta Comissão dos seguintes TRABALHOS:
1. Leitura e Resenha
·        SWINDOLL, Charles. Como viver acima da mediocridade. São Paulo: Ed Vida. 1999.
o   Resenha (conforme orientação desta Comissão, veja abaixo, Anexo 2)
     

2. Projeto de Vida Ministerial
-  Inspirado pela leitura do livro DESCREVA o sonho de Deus para sua vida ministerial.
 Considere seus sonhos e projetos ministeriais.
-  Indique prazos possíveis e outros dados que ajudam a identificar suas metas pessoais para o ministério.


3. Sermão - Carta Pastoral do Colégio Episcopal
·        Leia a Carta Pastoral: “Discípulas e discípulos nos caminhos da missão servem com integridade”
o   SERMÃO – baseado na Carta Pastoral (não é necessário resenha ou resumo da Carta)


4. Relatório de Atendimento Pastoral
·        Seguir "Protocolo de Entrevista de Aconselhamento" (abaixo, anexo 1)


CRITÉRIOS PARA A CORREÇÃO DOS TRABALHOS
Clareza: 
- o texto apresenta ortografia, gramática e sintaxe corretas
- o estilo de escrita é fluído
- o texto é conciso e tem estrutura lógica

Conteúdo: 
- o conteúdo está de acordo com a proposta do trabalho
- as idéias são desenvolvidas com coerência e objetividade
- as opções teóricas são claras
- há indicações de autores e fontes utilizadas
- a organização dos tópicos e a sequência de temas é adequado
- é evidente a espiritualidade pastoral no desenvolvimento do texto 
* Plágio anula o trabalho por completo.

Aplicação: 
- o texto faz conexões com a realidade da prática ministerial
- a conclusão é adequada ao desenvolvimento das idéias
- a conclusão não apresenta idéias novas
- a construção do trabalho demonstra indícios de conhecimento da prática ministerial 

Desempenho: 
- é um trabalho excelente
- a composição do trabalho apresenta idéias novas
- é um trabalho alinhado com a teologia, a prática e a herança metodista e wesleyana
- o trabalho revela a qualidade da reflexão do candidato

Formatação: 
- está de acordo com as normas solicitadas pela CMR

* CONCEITO DE PLÁGIO
      Plágio não é somente a cópia fiel e não autorizada da obra de outra pessoa – seja ela artística, literária ou científica. É também, e mais comumente, a cópia “da essência criadora sob veste ou forma diferente” (pg. 65 JOA), isto é, a apropriação indevida da produção de outrem mascarada por um modo distinto de escrever ou pela versão para outro idioma, entre várias possibilidades.
      FORMAS DE PLÁGIO
     Segundo o professor Lécio Ramos, citado por Garschagen (2006), existem, pelo menos, três tipos de plágio:
             Integral: cópia de um trabalho inteiro, sem citar a fonte.
             Parcial: ‘colagem’ resultante da seleção de parágrafos ou frases de um ou diversos autores, sem menção à sobras.
         Conceitual: utilização da essência da obra do autor expressa de forma distinta da original.
(Fonte:http://www.puc-rio.br/sobrepuc/admin/vrac/plagio.html. Acesso em: 9 de março de 2017.)


PRAZO
      Fica estabelecida a data de 10/08/2018, como limite para o envio (postagem nos Correios) dos documentos e trabalhos solicitados a esta Comissão.
NÃO ENVIAR POR E-MAIL.

        Os trabalhos devem ser apresentados impressos de acordo com as normas acadêmicas. (Veja abaixo, Anexo 3)


ENDEREÇO PARA ENVIO DOS TRABALHOS:
A/C  Revda. Andréa Ribeiro de Souza Francisco
Secretária de Correspondência
Av. Sete de Setembro, 3235 – Curitiba, PR.
CEP 80230-010  


OBSERVAÇÕES GERAIS
O/a Candidato/a que encontrar alguma dificuldade poderá entrar em contato com a Comissão. Quem não apresentar a documentação solicitada na data estabelecida, não terá o parecer favorável à aprovação do ano probatório.

Sem mais, para o momento, contando com o empenho de todos/as, colocamo-nos à disposição para o necessário, rogando as ricas bênçãos de Deus sobre a vida, família e ministério dos/as amados/as irmãos/ãs.

Mais informações pelo blog da Comissão:
http://comissaoministerial6re.blogspot.com.br/

Em Cristo,
COMISSÃO MINISTERIAL REGIONAL

C/C/P/:
Revmo. Bispo João Carlos Lopes
Revda. Andréa Ribeiro de Souza Francisco – Curitiba, PR – Presidenta.
Rev. Flavio Ricardo Hasten Reiter Artigas – CEMETRE, Maringá, PR – Secretário.
Rev. Perikles Emanuel de Souza – Guarapuava, PR.

Rev. Carlos César Pereira – Cornélio Procópio, PR.









_____________________________________________________________________________
ANEXO 1

PROTOCOLO DE ENTREVISTA DE ACONSELHAMENTO[1]

1. DESCRIÇÃO DA PESSOA(S) QUE PROCURA AJUDA
·         Descreva aspectos físicos, impressões, intuições a respeito da pessoa, mantendo a identidade em sigilo.

2. MOTIVO DA PROCURA DE ACONSELHAMENTO
·         Descreva o que motivou a pessoa a procurar ajuda – sinalize se há motivos manifestos e latentes.

3. DESCRIÇÃO DA SITUAÇÃO EMQUE ACONTECEU O ACONSELHAMENTO
·         Especifique o local (sem identificação), contexto, pessoas presentes, tempo de duração.

4. RELATO DIALOGADO
·         Mesmo que não consiga lembrar toda entrevista, relate o que for possível, com o máximo de fidedignidade, principalmente das próprias intervenções (ou seja, do que você falou).

5. COMENTÁRIOS SOBRE O ACONSELHANTE, SUA SITUAÇÃO E HISTÓRIA
·         O que aprendeu sobre seu ciclo de vida, sua dinâmica psicológica e teológica (teografia).
·         O que mudou nele durante a entrevista?
·         Como foi sua postura corporal durante a conversa?
·         Houve mudanças?

6. COMENTÁRIOS SOBRE SUAS PRÓPRIAS INTERVENÇÕES
·         Como sentiu a(s) pessoa(s)?
·         Que sentimentos ela suscitou em você?
·         Avalie os silêncios, gestos e posturas, fantasias (pensamentos) que lhe ocorreram, lembranças de situações próprias que você já viveu.
·         Comente temas que despertaram resistência, raiva, amor, ódio, misericórdia, etc.
·         Que intervenções abriram ou fecharam a comunicação?
·         O que faria diferente?


[1] Protocolo de Entrevista adaptado de desenvolvido pela Prof. Dra. Karin Kepler Wondracek para atendimento e recurso aos alunos em formação. (WONDRACEK, Karin H. K. 2006. Escola Superior de Teologia.)




___________________________________________________________________________
ANEXO 2

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE RESENHA

A.      DADOS GERAIS SOBRE O AUTOR E A OBRA:
Título da Obra:
Nome do autor:
Data da edição lida:

B.      ANÁLISE DA OBRA:
1. Resumo: (um texto abreviado que sintetiza o livro, até 200 palavras)
2. Assuntos principais: (conceitos essenciais, palavras-chave, 1 página apenas)
3. Adotaria como sua, alguma opinião (de caráter geral ou particular) emitida pelo autor? Justifique: (máximo 1 página)
4. Com que você concorda ou discorda do autor?  Justifique: (1 página)
5. O que é aplicável em sua vida pessoal e ministerial e ou ministério que você tem desenvolvido? (até 2 páginas)
6. Dê sua impressão geral sobre o livro: (máximo 15 linhas)




___________________________________________________________________________
ANEXO 3 

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DOS TRABALHOS

Papel: A4
Fonte: Arial ou Times New Roman - tamanho 12
Margens: 
       3 cm no Cabeçalho e margem esquerda; 
       2 cm no Rodapé e margem direita.
Espaçamento: simples


1. CAPA 
(topo da página, centralizado, caixa alta, fonte 12)
IGREJA METODISTA - SEXTA REGIÃO ECLESIÁSTICA
COMISSÃO MINISTERIAL REGIONAL 


(8 espaços simples, meio da página, centralizado, caixa alta, fonte 16)
SEU NOME
TÍTULO DO TRABALHO 


(meio da página, alinhado à direita, fonte 12)
Descrição do trabalho: Resenha, ou Sermão, ou Projeto de Vida Ministerial, ou Relatório de Atendimento Pastoral)


(fim da página, centralizado, fonte 12) 
Local e data


2. Corpo do Texto 
Fonte: Arial ou Times New Roman - tamanho 12
Espaçamento: simples
Margens: 
       3 cm no Cabeçalho e margem esquerda; 
       2 cm no Rodapé e margem direita.
Títulos: em destaque com negrito
Paginação: inserir números de página (rodapé, alinhamento à direita)

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Edital - Exames da ORDEM PRESBITERAL e PASTORAL - 2017

                                                                             
Exames para ingresso 
na ORDEM PRESBITERAL 
e na ORDEM PASTORAL
- 2017-

 DIA 
26 de setembro de 2017 

 HORA 
das 13h às 17h

 LOCAL 
Cemetre
Rua Neo Alves Martins, 1688
Maringá, Pr  
                                                                                             



ORDEM PRESBITERAL
2017
EDITAL DE CONVOCAÇÃO
            Exame para ingresso na ORDEM PRESBITERAL 

O Colégio Episcopal convoca os/as candidatos/as à Ordem Presbiteral para realização de Exame para Ingresso na Ordem Presbiteral, para o dia horário de Brasília, no local estabelecido pela Comissão Ministerial Regional. Esta exigência contempla os artigos canônicos 27, item V, 119, item XIII e 92 § 3º, o Regulamento da Ordem Presbiteral e o regulado pelas Normas do Exame da Ordem Presbiteral.
Fica estabelecido para o exame da Ordem Presbiteral, o que segue:

I.                OBJETIVOS GERAIS

a)        Verificar a capacidade interpretativa e cognitiva do/a candidato/a, bem como a sua sensibilidade de contextualização à luz da realidade, a partir do seu conhecimento bíblico, teológico, pastoral e canônico, conforme a tradição wesleyana;
b)        Estimular o/a candidato/a ao Exame da Ordem a vivenciar uma experiência de aprender a aprender, no contexto de uma sociedade que sofre profundas transformações;
c)        Pontuar que o Exame da Ordem é uma oportunidade de refletir e encarnar o modelo de vida pastoral à semelhança de Jesus Cristo, o Bom Pastor, sendo mais do que um Exame para ser aprovado no período probatório à Ordem Presbiteral.
d)        Averiguar através do exame que as marcas essenciais do ministério presbiteral estão presentes em seu conhecimento e experiência.  O discurso de Paulo aos presbíteros de Éfeso (Atos 20.18-35) oferece-nos os elementos essenciais do ministério apostólico. Eles tinham sido constituídos “epíscopos”, à frente de uma igreja, recebendo a tarefa de pastorear o conjunto do rebanho a eles confiados (cf. 20.28);
e)        Constatar se o/a candidato/a expressa uma espiritualidade presbiteral (pessoal e comunitária), reconhecendo que, como Paulo,  recebeu do Senhor “poder” e “autoridade” para edificar o Corpo de Cristo e não para destruir (2 Co 13,10; 10.8 e 1 Co 4.20).  
f)         Diagnosticar se o\a candidato\a está habilitado ou não a fazer parte da construção do carisma da Ordem Presbiteral.

II.             METODOLOGIA DE APLICAÇÃO, CORREÇÃO E AVALIAÇÃO.

a)        Metodologia de aplicação do Exame da Ordem:
                                                    i.     A Comissão Ministerial Regional divulgará o local em que o exame será realizado;
                                                  ii.     A Comissão Ministerial aplicará o exame encaminhado pelo Colégio Episcopal;
                                                 iii.     Os/As candidatos/as portadores de deficiência visual serão avaliados com a utilização de recursos que serão especialmente desenvolvidos para este fim, pela Região Eclesiástica.
                                                 iv.     O/a candidato/a poderá consultar a bibliografia indicada que estiver consigo no horário da prova.
                                                  v.     O tempo de duração da prova é de 4 horas.
                                               vii.     A Comissão Ministerial Regional coloca em seu arquivo a lista de assinatura dos candidatos que fizeram a prova;
                                             viii.     O Secretário Executivo do Colégio Episcopal entregará o envelope lacrado para a Comissão Nacional de Avaliação do Exame da Ordem Presbiteral no dia de sua reunião de avaliação.


b)        Metodologia de Correção e Avaliação do Exame da Ordem:

                                                    i.     A Comissão Nacional de Avaliação do Exame da Ordem Presbiteral é composta por 6 (seis) Presbíteros/as designados/as pelo Colégio Episcopal.
                                                  ii.     A Comissão Nacional de Avaliação do Exame da Ordem Presbiteral se reunirá em data a ser convocada pelo Colégio Episcopal;
                                                 iii.     A Comissão Nacional de Avaliação do Exame da Ordem Presbiteral, que procederá à correção das provas, concederá a cada candidato/a uma nota de 0 (zero) a 10 (dez).
                                                 iv.     Terminado o seu trabalho, a Comissão Nacional de Avaliação do Exame da Ordem Presbiteral expede um documento com as notas de cada candidato/a.
                                                  v.     O documento da Comissão Nacional de Avaliação do Exame da Ordem Presbiteral, com as notas dos/as candidatos, é encaminhado ao Colégio Episcopal através do seu Secretário Executivo.
                                                 vi.     O/A Secretário Executivo arquiva o documento original e encaminha cópia para o/a Bispo/a da Região.


c)        Notas do Exame da Ordem Presbiteral

A nota do Exame da Ordem Presbiteral da Igreja Metodista será dada conforme  segue:

Primeira nota (N1): Nota do Exame para Ingresso na Ordem Presbiteral (escrito), conforme Edital.

Segunda nota (N2): Nota dada pela Comissão Ministerial Regional, considerando todos os eixos de sua rotina de acompanhamento do/a candidato/a, conforme Regimento da Comissão Ministerial Regional.


Cada uma das duas notas será de 0 (zero) a 10 (dez).


d)        Critério para aprovação no Exame da Ordem Presbiteral

Para auferir a nota final de um/uma candidato/a, a Comissão de Avaliação do Exame da Ordem fará o seguinte cálculo:


(N1 x 7) + (N2 x 3) = NF (Nota Final)

NF >= 60 – Habilitado
NF <= 59,9 – Não Habilitado
N1 ou N2 > 0 – Não Habilitado

Ou seja:
A Primeira nota vezes 7 + a  Segunda nota vezes 3  = O/A candidato/a que alcançar 60 pontos ou mais será declarado “habilitado” (aprovado) no Exame para Ingresso na Ordem Presbiteral, exceto se o/a candidato tirar 0 (zero) em uma das duas notas, situação na qual será declarado “não habilitado”. O/A candidato/a que não alcançar 60 pontos será declarado “não habilitado” (não aprovado).


e)        Das despesas da Comissão de Avaliação do Exame da Ordem
                                                    i.     A despesa de viagem do membro da Comissão será paga pela Região Eclesiástica ou Região Missionária. As despesas de  hospedagem e alimentação correm por conta da Área  Nacional.




   III – METODOLOGIA E CONTEÚDO PARA O EXAME.

O Exame será constituído de quatro  eixos:
                
1.     EIXO - HISTORIA DO METODISMO

Objetivo: Demonstrar o conhecimento do contexto do nascimento e desenvolvimento  do movimento metodista na Inglaterra, Estados Unidos, no  Brasil  até  sua autonomia .


BIBLIOGRAFIA PARA O EIXO 1:
Barbosa, José Carlos - Adoro a sabedoria de Deus. São Bernardo do Campo – São Paulo: Editeo, 2011.

Heitzenrater, R. Wesley e o Povo Chamado Metodista. São Bernardo do Campo – São Paulo: Editeo – Cedro, 2006.

Mattos, P. A. – Mais de Um Século de Educação Metodista. Piracicaba: UNIMEP - Cogeime, 2000.

Reily, D. A. -  Metodismo Brasileiro e Wesleyano. São Paulo: Imprensa Metodista, 1981.
·     Capitulo 5 – O “Background” Americano do Protestantismo Brasileiro.
·       Capitulo “As Origens da Autonomia do Metodismo Brasileiro”.

Reily, D.A. e outros – História, Metodismo e Libertações (Editeo, 1990):
·     Capitulo “Os Metodistas no Brasil (1889-1930) ”,
·     Capitulo “O Movimento da Autonomia: Perspectivas Nacionais”.

Reily, D. A.  -  John Wesley e as Crianças: p. 11 – 29. Caminhando, n. 12.2003.

Klênia Fassoni, Lissânder Dias e Welinton Pereira - Uma criança os guiará: por uma teologia da criança -  Editora Ultimato - 2010

   Igreja Metodista – Pastoral da Criança -  Colégio Episcopal

             
Processo de Avaliação. O/a candidato/a responderá cinco questões relacionadas aos três ambientes históricos: Inglaterra; Estados Unidos e Brasil sendo quatro de múltipla escolha e uma dissertativa.


2.     EIXO - TEOLOGIA DO METODISMO.

Objetivo: expressar seu conhecimento e interpretação das principais doutrinas metodistas à luz da realidade da caminhada da Igreja

BIBLIOGRAFIA PARA O EIXO 2:

González, Justo L. – João Wesley em Diálogo com a Reforma”, São Bernardo do Campo – SP, Editeo, 2016.

Sermões de Wesley  Volumes 1 e 2 - 
·     Sermão 1 – A Salvação pela fé.
·     Sermão 16 – Os Meios de graça.
·     Sermão 50 – O uso do dinheiro.

Burtner e Chiles. Coletânea da Teologia de João Wesley. Rio de Janeiro: Bennett, 2ª Edição, 1995.

Igreja Metodista. Cânones da Igreja Metodista.  São Paulo. 2012.
Destaques:
·       Proclamação da Autonomia da Igreja Metodista;
·       Constituição da Igreja Metodista;
·       Dos Elementos Básicos da Igreja Metodista; 
·       Das Doutrinas; Dos Costumes;
·       Do Credo Social;
·       Plano Diretor Missionário;  
·       Do Plano de Vida e Missão da Igreja;
·       Herança Metodista;
·       Diretrizes para a Educação na Igreja Metodista.

Igreja Metodista – Ritual da Igreja Metodista. Edição Revista e Ampliada - Colégio Episcopal. São Paulo:  Ed.  Cedro, 2ª Edição, 2005.

Igreja Metodista - Pastorais do Colégio Episcopal publicadas na Coleção Vida e Missão:
·       As Marcas Básicas da Identidade Metodista;
·       Carta Pastoral sobre os sacramentos do Batismo e Ceia do Senhor;
·       O Culto da Igreja em Missão.
·       Discípulas e Discípulos nos caminhos da missão produzem frutos de uma vida santificada, 2016.
·       Evangelho em Ação – Ação Social da Igreja Metodista, 2013.

Igreja Metodista. Serviço, Santidade, Sabedoria e Solidariedade.  São Paulo: Sede Nacional, 2006. Comentado pelo Bispo Adriel de Souza Maia –

Klaiber, Walter e Marquardt Manfred -Viver a Graça de Deus – Editeo, 2ª edição, 2006.


Processo de Avaliação. O/A candidato/a deverá responder cinco  questões sendo quatro de múltipla escolha e uma dissertativa.



3 – EIXO – GOVERNO DA IGREJA.

Objetivos: Demonstrar compreensão sobre a questão do Governo da Igreja, bem com sua autoridade e poder, para que possa construir uma vivência presbiteral marcada pelos valores de uma ética santificadora, onde relacione o exercício da autoridade pastoral no contexto de uma igreja em dons e ministérios.


    BIBLIOGRAFIA PARA EIXO 3:


Igreja Metodista. Plano Nacional Missionário – 2012 - 2016.

Igreja Metodista. Manual de Disciplina. São Paulo:  Imprensa Metodista,  1998.

Igreja Metodista. Código de Ética. São Paulo:  Ed.  Cedro, São Paulo, 2001.

Igreja Metodista. Servos, Servas, Sábios, Sábias, Santos, Santas, Solidários, Solidárias.  Colégio Episcopal. São Paulo: Ed. Cedro,  2ª Edição, 2005.

Henderson, Michael, Um Modelo Para Fazer Discípulos- A Reunião de Classes em John Wesley. Curitiba, Editora Ministério Igreja em Células., 2012.

Igreja Metodista. Carta Pastoral sobre Dons e Ministérios. São Paulo: Cedro,  (2ª edição em 2001).

Igreja Metodista. Cânones da Igreja Metodista. São Paulo: 2012.
Destaque:
·       Proclamação da Autonomia da Igreja Metodista;
·       Constituição da Igreja Metodista;
·       Dos Elementos Básicos da Igreja Metodista;
·       Das Normas do Ritual; Lei Ordinária:  Capitulo III – Seção II.

Processo de Avaliação. O/A candidato/a deverá responder cinco  questões sendo quatro de múltipla escolha e uma dissertativa.



4.     Eixo  -   Missionário -  Pastoral  -  Gestão  Administrativa

Objetivo: Demonstrar sua habilidade com relação a consciência missionária, relacionando com o exercício múltiplo do ministério pastoral e desenvolvendo praticas saudáveis da gestão administrativa.


    BIBLIOGRAFIA PARA EIXO 4:

Igreja Metodista. Cânones do da Igreja Metodista. São Paulo: 2012.
Destaque:
·       Plano Diretor Missionário; 
·       Pessoa Jurídica e do Registro Civil;
·       Da administração básica;
·       Das Normas de administração econômico-financeira;
·       Das Normas de administração Patrimoniais.
·       Das Normas de contratação de prestação de serviços;
·       Disposições diversas.

Oliveira, Djalma de Pinho Rebouças, Planejamento Estratégico, para a área de administração da Igreja, São Paulo, Editora Atlas, 2014.
Fisher, D. O Pastor do Século XXI. São Paulo: Vida, 2008.

Carvalho,  A. V. Planejando e Administrando as Atividades da Igreja. São Paulo Hagnos, 2004, p. 37 – 47.

Murad, A. Gestão e Espiritualidade. São Paulo: Paulinas, 2007, p. 71 – 92.

Oliveira, A.  e Valdo Romão.  Manual do Terceiro Setor em Instituições religiosas trabalhista  contábil e fiscal. São Paulo:  Atlas, 2008.

Silva, G.J. “Gestão e serviço: Gestão como administração nas organizações religiosas e sem fins lucrativos”. Caminhando, n. 15, 2010.

Peterson, Eugene.  Memórias de um Pastor, São Paulo, Ed. Mundo Cristão, 2011

Processo de Avaliação. O/A candidato/a deverá responder cinco questões
sendo quatro de múltipla escolha e uma dissertativa.


São Paulo, 29 de junho de 2017.



Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa  
 Presidente do Colégio Episcopal


Bispa Marisa de Freitas Ferreira

 Secretária do Colégio Episcopal